Mapa do Site

ENSAIOS PARA MINÉRIOS DE OURO

O Laboratório de Caracterização Tecnológica realiza uma série de ensaios destinados a minérios de ouro. Dentre os serviços, destacam-se:

  • Umidade
    • A determinação do teor de umidade é realizada na temperatura de 105°C até obtenção de massa constante.

  • Determinações Químicas
    • Determinação do teor de ouro (Au) por digestão em água régia, seguida por extração em metil isobutil cetona e dosagem em espectrômetro de absorção atômica (AAS). Esta metodologia se aplica a rochas, solos, sedimentos de corrente, trincheiras e testemunho de sondagens.

    • Determinação do teor de ouro (Au) em soluções provenientes de ensaios de lixiviação (cianetação, por exemplo).

    • O método standarless (sem padrão ou semi-quantitativo) também está disponível para análise em minérios de ouro, permitindo a determinação dos elementos compreendidos entre o flúor e o urânio (número atômico de 9 a 92) a partir de 0,001% de concentração. Este procedimento é muito utilizado para varredura completa e reconhecimento de uma amostra (demais elementos presentes) e não deve ser utilizado com a finalidade da dosagem do teor de ouro.

    • Para a determinação de teores dos elementos traços em minérios de auríferos (abaixo de 0,10% / ordem de ppm) recomenda-se a análise por espectrometria de emissão óptica (ICP-OES), onde a amostra é preparada por meio de digestão ácida e os elementos são determinados por ICP-OES. O LCT disponibiliza a dosagem dos seguintes elementos:

      Ag

      Bi

      Cr

      Hf

      Mg

      Ni

      Sb

      Te

      V

      Al

      Ca

      Cs

      In

      Mn

      P

      Sc

      Th

      W

      As

      Cd

      Cu

      K

      Mo

      Pb

      Sn

      Ti

      Y

      Ba

      Ce

      Fe

      La

      Na

      Rb

      Sr

      Tl

      Zn

      Be

      Co

      Ga

      Li

      Nb

      S

      Ta

      U

      Zr

  • Análise mineralógica
    • A técnica de difração de raios X permite a identificação de fases cristalinas (minerais, por exemplo) e a quantificação pelo método de Rietveld em minérios auríferos, considerando os maiores constituintes da amostra. Como exemplo típico de minerais associados ao ouro pode-se citar a pirita, calcopirita, galena, arsenopirita, quartzo, dentre outros.

  • Massa específica (densidade)
    • Determinação da massa específica por picnometria com intrusão de gás hélio.

  • Tamanho e forma de partículas
    • Determinação do tamanho e forma de partículas por análise de imagem dinâmica em partículas de 1 µm a 30 mm (equipamento CAMSIZER).
    • Determinação do tamanho de partículas por espalhamento laser de baixo ângulo em partículas de 20 nm a 3 mm (equipamento Malvern). 

  • Estudos de caracterização tecnológica
    • O LCT tem uma grande experiência em projetos de caracterização de mineralizações auríferas, em uma abordagem mais ampla que visa um melhor entendimento das características da matéria-prima mineral do depósito estudado, as formas de ocorrência dos minerais e a separabilidade entre as fases. Os estudos de caracterização são elaborados individualmente de acordo com as necessidades de cada projeto. Para amostras mineralizadas a ouro, podem ser avaliados a distribuição granuloquímica, a liberação dos minerais por faixa granulométrica, a separabilidade mineral por densidade, a composição mineralógica quantitativa da amostra, a ocorrência de minerias traços (ouro, prata, platina, teluretos, etc.), a recuperação de ouro por lixiviação, dentre outros. 
  • Solicitação de orçamentos para a realização de serviços analíticos ou estudos de caracterização tecnológicas devem ser dirigidos a lct@lct-usp.org ou (11) 3091-5151.

Copyright 2008 LCT - Desenvolvido por Diagrama Estúdio